Fale Conosco: (15) - 3227.7382 - André ou Edna

A visão espírita sobre o Suicídio

suicidaalentejano-263x300“A vitória da vida não consiste tanto no ganhar suas batalhas, como em saber sofrer suas derrotas” ( P. C. Vasconcelos Jr. “In” – “Pensamentos”).

O suicídio é o resultado do nosso desequilíbrio espiritual. Quando o cidadão perde o controle das suas forças psíquicas, torna-se alvo das trevas, ( dos maus espíritos), e acaba caindo no tremendo calabouço do suicídio. Há pessoas que chegam às portas do suicídio levadas pela ignorância das leis naturais da causa e do efeito. Algumas pessoas cometem o suicídio, quando tangidas por doenças incuráveis ou quando atingem idade avançada. Não querem ser pesadas para as suas famílias e nem passarem por muitos sofrimentos. Essas pessoas não estão bem conscientes do aspecto espiritual de suas ações. Ignorando a Lei Maior da Vida Eterna, acham que podem estancar os achaques da velhice e que também podem interromper os seus sofrimentos, saindo desta existência, pelas portas trágicas do suicídio. Entretanto, meus amigos, ninguém pode exercer o papel de Deus. Ele nos dá a vida, aqui no planeta Terra e sabe, muito bem, o momento de nos transferir para o Plano Maior. Essas pessoas devem saber que o nosso Espírito ao ingressar no corpo mais denso, por si mesmo, escolheu as experiências cármicas para o seu burilamento íntimo. Nestas circunstâncias, durante nossas lutas, nossas provas e expiações, no planeta que nos acolheu, temos que batalhar até o fim, até à última gota de nossas forças. Temos que lutar até o fim, valendo-nos de todos os recursos para nossa sobrevivência. Só mesmo Deus, nosso Criador, pode fixar o momento da nossa partida. Sabemos que todas as vezes que ocorre o suicídio, o Espírito deverá retornar para reaprender aquela experiência interrompida, ou seja, precisará voltar em outra existência e passar de novo pela mesma provação ou algo similar. A provação pode não ser tão extremada como a que experimentou na existência anterior, porque parte dela já foi vivenciada, entretanto, o Espírito precisará resgatar, até o último ceitil, as provas que se lhe antolham e que foram ocasionadas pelo suicídio. As leis da ação e da reação funcionam como um sistema de pesos e medidas. A situação, assim, fica bem mais complicada, porque o suicídio nada resolve, pelo contrário, é circunstância tremendamente agravante. Meus amigos, a morte física não resolve os problemas que se ligam às nossas responsabilidades. Nossos problemas de ordem sentimental, de ordem social ou de quais quer naturezas, por certo, temos que resolvê-los e saná-los, aqui e agora, à luz da mais santa paciência e do trabalho incansável. Não tentemos fugir dos problemas porque eles nos seguem, como a sombra segue o nosso próprio corpo.

 

Sim, doe-nos o coração, quando, em trabalhos mediúnicos, temos a oportunidade de constatar a situação de penúria e de angústia dos irmãos que se suicidaram. Abre-se uma exceção para os irmãos que cometeram o suicídio tangidos por doenças mentais ou por desequilíbrios bioquímicos. Aludidas pessoas estariam com sua capacidade de decidir comprometida. Então, quando passam para o outro lado, acordam em uma espécie de abrigo onde recebem o auxílio de que precisam para o restabelecimento. Entretanto, não deixam de responder pela gravidade da falta cometida.

 

E podemos aduzir mais que a natureza de uma Alma a leva a crescer e a aprender. Por isso mesmo, trazemos, para a nossa existência terrena, determinadas situações que precisamos superar ou para as quais precisamos buscar o equilíbrio. Se nos déssemos conta de que, no plano terreno, é normal vivenciarmos algum tipo de sofrimento, seja físico, mental ou emocional e de que o suicídio não eliminaria essa condição, acreditamos que haveria menos casos de pessoas tirando suas próprias existências. Precisamos nos conscientizar sobre o erro do suicídio e sempre acentuar a responsabilidade que temos de viver plenamente, porque a Vida, em síntese, é uma só, e as existências, neste plano-terra, são os degraus que devemos escalar. Se quebrarmos algum degrau, por certo, teremos que descer de novo e reconstruí-lo. A queda, em qualquer circunstância, é sempre mais dolorosa.

 

Lembremo-nos sempre e procuremos vivenciar, “ab imo corde”, os valiosos ensinamentos do Eminente Guerreiro-Filósofo Napoleão Bonaparte, (1769 usque 1821):

 

“Tão valente é aquele que sofre corajosamente as dores da alma como o que se mantém firme diante da metralha de uma bateria. Entregar-se à dor, sem resistir, matar-se e eximir-se à mesma dor, é abandonar o campo de batalha antes de ter vencido”.

 

Fonte: Por: Domério de Oliveira http://www.espirito.org.br/portal/artigos/verdade-e-luz/a-visao-espiritual.html




Assuntos Relacionados

Sobre o Autor

André Ariovaldo

já publicou 93 artigos em nosso site.

André Ariovaldo é Orador Espírita e Médium. Atualmente trabalha como dirigente do departamento de orientação doutrinária, dirigente dos trabalhos de orientação mediúnica e desenvolvimento mediúnico e orientador do Atendimento Fraterno no Centro Espírita Batuíra. Apresentou também o programa Verdade e Luz pela Rádio Boa Nova de Sorocaba e Região - AM 1080. Contatos para palestras: 15 - 3227.7382 www.andreariovaldo.com.br

14 Comments em “A visão espírita sobre o Suicídio”

  • leni publicado em 6 maio, 2009, 15:21

    andre,as vezes,as dores são tão fortes,que realmnente pensa-se nisso algumas vezes,se não fosse acreditar que a vida continua após a vida e que o sofrimento é maior ,do outro lado a gente fracassaria na missão de resgate de nossos erros,e nosso orgulho é que é atingido quando não queremos dar trabalhoa familia, pois sempre fomos quem deu as orientações e é dificil abrir mão do que faziamos… enfim que deus nos de força para continuar,muita paz e muitaluz..

  • leni publicado em 6 maio, 2009, 15:21

    a matéria esta ótima.parabens……

  • CELMA LEME publicado em 6 maio, 2009, 15:22

    “ATO SUICIDA É UMA MENSAGEM, UMA MANEIRA DE COMUNICAR SUAS DORES E PEDIR AJUDA”.

    (Depois do texto maravilhoso acima, não precisaríamos dizer mais nada, mas como experiência própria na família, sinto em dizer que…)

    Geralmente, os suicidas fantasiam a reação dos vivos perante a sua morte(foi assim com meu cunhado, antes de cometer o ato ele ligou para a irma avisando-a, mas ele estava em Sorocaba e ela em Campinas, não deu tempo,faz 4 meses).Muitas vezes, o suicida não deseja a morte, mas sim, uma nova vida, em que a pessoa se sinta querida, importante e notada pelos os outros com mais carinho.
    A pessoa que se mata não quer necessariamente morrer, pois nem sabe o que seja isso. Ela se mata porque deseja uma outra forma de vida fantasiada. O que o suicida procura é escapar de um sofrimento insuportável, real ou fantasiado interno ou externo. Poderia aqui continuar a escrever, mas o assunto é extenso e no momento atual estou sentindo forte pulsação de fazer a prece aos nossos irmãos queridos desencarnados nesta condição. DEUS PAI MAIOR E JESUS CRISTO EM SUA INFINITA BONDADE QUE PROTEJA E QUE EMANE MUITA LUZ NOS CORAÇÃOZINHOS DESSES IRMÃOS, QUE FAÇA COMPREENDER A SUA ATUAL CONDIÇÃO ESPIRITUAL. SILENCIAREI POR UNS MOMENTOS. ABRAÇOS FRATERNOS!!!

  • meu nome e ana maria minha familia e suicida eu muitas vezes tive esse desejo vejo isso como um carma pratico o budismo de nitiren daishonin mas amo jesus cristo as vezes fico pertubada qual realmente e minha missao gostaria de uma orientaçao obrigado publicado em 10 julho, 2009, 0:14

    sou praticante do budismo de nitiren daishonim mas tenho muitas duvidas porque sou apaixonada pelo encinamento de jesus por muitas vezes me pergunto porque nao consigo resolver meus problemas e ser feliz sinto um vasio espiritual eu e meu marido fomos dirigentes budistas ajudamos muitas pessoas e caimos em um sofrimento muito grande desde entao nunca mais consseguimos nos levantar hoje eu tento ser budista mas acho que perdi a confiança na oraçao devido a tantos sofrimentos o budismo dis que tudo e carma e que podemos transformar mas isso me ficou uma grande duvida agradeço a atençao

  • José Aguiar publicado em 13 agosto, 2009, 15:27

    Para chegar ao suicídio é preciso perder o medo de sí proprio, não acreditar em DEUS e por fim, rifar o espirito para um mundo desconhecido. Imagine voce no alto de edíficío o mais alto possivel, aponte o dedo indicativo para para qualquer pessoa que transita la em baixo, ela é tão pequena que seu dedo pode cobrir a imagem dela. Resumindo: O suicídio é a distancia que você quer ir e ficar longe de tudo e de todos, o prblema é que não há retorno.

    O melhor mesmo é ficar com todos e com tudo, DEUS quer que seja assim, porque?: -espere ELE te chamar, ninguem perde por esperar ELE.

  • alline publicado em 14 agosto, 2009, 20:04

    acho q se eu me sussidar ninguem se lamentaria tanto ninguem se importa realmente com as pessoas q nao conhece…
    com quem eu me importei essa pessoas morreu ontem…amo você colling
    vamos sempre estar juntos …. sempre

  • Marieta publicado em 16 setembro, 2009, 13:16

    Gostei da visão de pensamento do autor,sou espirita e estou fazendo um curso dentro da doutrina!
    Que Deus iluminem suas existencias

  • Anatildes Montenegro publicado em 11 julho, 2010, 13:31

    Estou passando por uma tempestade de sofrimento, quase cometi suícidio, mas tenho 2 filhas e sei q sou muito importante p/ elas. Peço ajuda pois é um sofrimento imenso uma dor insuportavel q tá muito dificil p/mim.

  • kajdsb publicado em 13 março, 2011, 13:56

    É sempre assim, somos meros escravos da vontade de Deus, dizem que ele nos deu o livre arbítrio mas tudo que desejamos fazer, nossos anseios, nossas vontades, nossa maneira de ser, tudo isso não vale nada pra ele, se você se matar vai pro inferno, se ficar aqui vai ser um peso morto para sua família e atrapalhar a sociedade com sua inutilidade. Não existe algo mais injusto do que isso, você deveria ter o direito de tirar a própria vida sim, Deus não passa pelo que a gente passa, ele não sente dor ou fome ou indecisão, insegurança ou qualquer outro tipo de sentimento. Mas que droga!! Por quê temos sempre que fazer aquilo que não queremos?? Não há nada de errado em querer se matar para não incomodar os ooutros, se matar e deixar o mundo livre da sua presença ruim, se eu sou um completo inútil eu vou estar fazendo um favor para a humanidade se eu me matar. Não entendo por que Deus foi me criar ou me concedeu a vida sabendo que eu não seria ninguém nesse mundo, sabendo que eu seria um completo inútil sem talento algum e que hora ou outra eu iria acabar com a minha própria vida. Por que eu fui nascer??? Deus quer ver minha agonia e meu castigo no inferno?? É só isso?? A diversão dele é torturar aqueles que não sabem o que querem da vida? POR QUÊ????? Eu não devia ter nascido, DROGA!!
    Não mereço viver, mas não quero ser torturado por toda a eternidade.
    DEUS POR QUE VOCÊ NOS ESCRAVIZA?? POR QUE NÃO NOS AJUDA??? POR QUE SE DIVERTE COM A DOR E O SOFRIMENTO DA SUA MAIOR CRIAÇÃO??? POR QUE????????????????
    :(

  • José Manuel do Carmo Garcia publicado em 26 agosto, 2011, 8:17

    É difícil alguém responder-lhe e dar-lhe uma mensagem diferente das usuais (Príncípios do Cristianismo, Espiritismo,etc). A resignação que propõem sem que se saiba se realmente sofreram deveras alguma vez – e então sabem do que falam – ou se debitam cartilhas, que vêm sempre cumuladas de ameaças. Há grandes doses de sadismo e masoquismo. Há pessoas que gostam de ser e viver dominadas. Assim, acabam por transformar a Vida num gigantesco campo de concentração ou quartel de onde é impossível escapar. – Não têm nem querem ter sensibilidade bastante para ver que assim deixam as pessoas AINDA MAIS oprimidas. Mas não será Deus. Há outras Coisas, que contam com o Fanatismo dos homens.

  • rosangela fernandes publicado em 26 setembro, 2011, 3:04

    Tento ñ achar + desde q/ nasci,sou patinho feio da família,vou citar alguns itens;sou epilética desde os 15 e c/ausência,nunca consegui emprego fixo,pq sei q/sou descriminada perante a sociedade,quando consigo vingar algo p/trabalhar anônima,sou derrotada,pq ñ da certo,enfim se eu fosse fraca de espirito e se eu ñ tivesse 2 filhos ,talvés tentasse alguma besteira,mais tenho muita fé e respeito ao nosso criador,pois só ele sabe a nossa hora.Obrigado pelo desabafo!!!

  • rosangela fernandes publicado em 26 setembro, 2011, 3:17

    Parabéns,me indentifiquei muito c/sua matéria!!!

  • celiana carmo flores publicado em 25 outubro, 2011, 12:03

    Eu gostei muito do seu pensamento, no meu bairro esta avendo casos destes de suicidio de jovens fico muito triste, pois vejo a pouca fé das pessoas, falta de comprenção e jovens so porque seu pais não aceita o seu jeito se acha no direito tirar a vida.

  • José Manuel do Carmo Garcia publicado em 20 fevereiro, 2012, 11:25

    Reaparei que no que foi publicado acima, foram as pessoas que fizeram apelos e melhor exprimiram a sua angústia que na realidade não receberam resposta. Porque terá sido?
    É muito difícil fazê-lo? Não digo que não.
    Certo é que ficaram ainda mais encerrados na sua angústia.
    Alguns podiam estar perto do suicídio. Não se pode dizer que tiveram sequer uma palavra.
    É assim que “certas profecias se cumprem”.
    Lamentável!

Deixe um Comentário sobre esse Artigo

Não fazemos psicografias!
Se você pretende deixar um comentário para pedir psicografias, infelizmente não poderemos atendê-lo nesse sentido. Se você deseja obter informações sobre esse tipo de atividade, acesse esse link para visitar outro site que pode lhe auxiliar neste sentido.

Copyright © 2014 Centro Espírita Batuíra Sorocaba. Todos os direitos reservados.